17 maio 2004

porque recordar é viver :)

(...)Perdão Senhor, ainda sou uma criança
Perdão, meu Deus ainda não sei bem andar,
Sou um rapaz que ainda não perdeu a esperança
e tenho fé que hei-de aprender como Te amar

Pois na escola só brinquei, não estudei nada,
rasguei o bibe e fiz maldades sem ter fim.
parti os vidros dos vizinhos à pedrada.
Perdão meu Deus, porque eu ainda sou assim
(...)
Há vinte anos que te canto e quem me dera,
que os meus fados fossem hinos de louvor,
fossem flores de uma eterna primavera
e que eu fosse o Teu eterno trovador
(...)
não quero ser eternamente esta criança,
Senhor, Meu Deus, faz com que eu seja um homenzinho
Se o Teu amor é infinito e não se cansa,
quero mais estrelas amanhã no meu caminho(...)


Cresci com a minha mãe a ouvir o intérprete* desta música, entre outros do género.
Era a Menina alentejana, o rapaz transmontano que ia para a terra da Maria, outro que trocou o carro por um calhambeque, uns rapazes que tinham uma febre esquisita, um conjunto que sabia as horas, entre muitos outros e outras.
As cassetes (sim, não havia cd's na altura) compradas na feira - que ainda hoje continua a existir de 15 em 15 dias - ajudavam a passar as tardes da limpeza da casa e de outras tarefas típicas de dona de casa.
E eu agora, ao escrever isto, estou a ouvir qualquer coisa como "peguei, trinquei e meti-te na cesta"... enfim... há dias assim :)

*Frei Hermano da Câmara, ou como diz um amigo, o inventor da coreografia das claques de futebol. Basta ouvir a música Jesus

0 Novas Memórias:

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal