26 julho 2007

Senhoras e senhores...

mais uma vez... Jorge Palma...

Encosta-te a mim

Encosta-te a mim, nós já vivemos cem mil anos
encosta-te a mim, talvez eu esteja a exagerar
encosta-te a mim, dá cabo dos teus desenganos
não queiras ver quem eu não sou, deixa-me chegar.

Chegado da guerra,
fiz tudo p´ra sobreviver
em nome da terra, no fundo p´ra te merecer
recebe-me bem, não desencantes os meus passos
faz de mim o teu herói, não quero adormecer.

Tudo o que eu vi,
estou a partilhar contigo
o que não vivi, hei-de inventar contigo
sei que não sei, às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem, encosta-te a mim.

Encosta-te a mim,
desatinamos tantas vezes
vizinha de mim, deixa ser meu o teu quintal
recebe esta pomba que não está armadilhada
foi comprada, foi roubada, seja como for.

Eu venho do nada porque arrasei o que não quis
em nome da estrada onde só quero ser feliz
enrosca-te a mim, vai desarmar a flor queimada
vai beijar o homem-bomba, quero adormecer


Gosto de Jorge Palma... não sei explicar. Transmite-me confiança, alguma dor, algum sentimento... faz-me lembrar de mim (só em certas partes que nada têm a ver com o génio que é responsável pela composição) em certas ocasiões, faz-me chorar em outras, nalgumas faz-me rir... enfim, completa-me. Pode-se definir uma vida ao som das suas composições, de tempos nostálgicos a tempos alegres, de recordações amargas a açucaradas... encontra-se de tudo. Ao longo da sua carreira Jorge Palma reuniu uma legião de fãs que o adoram e que lhe perdoam quase... mas mesmo quase tudo. Num voo nocturno perto de si!

2 Novas Memórias:

Anonymous Cândida escreveu...

ele é culpado de quê?

05/08/2007, 19:41:00  
Blogger ponto azul escreveu...

Olá!gostava de ter ido vê-lo...mas tem a distância...pode ser que venha ao Norte!Bjs :-)

11/08/2007, 22:39:00  

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal