03 agosto 2007

Fui pela primeira vez ao Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) numa visita de estudo da escola preparatória e, desde esse dia, o MNAA tornou-se o meu lugar preferido no mundo inteiro. Durante as várias visitas que fiz, ao longo dos anos, foi-se tornando notória a decadência do espaço, a precisar de obras urgentes e a monotonia do ambiente, a a pedir novas atracções, exposições temporárias, incursões por outras áreas, por outras artes.

Com a chegada de Dalila Rodrigues, em 2004, o MNAA recebeu a transfusão de vida de que tanto precisava. Desde as noites do museu, até à exposição feita em colaboração com o museu da faculdade de ciências médicas, passando pela esplendorosa arte sacra da Polónia e pela magnífica colecção Rau, o MNAA esteve sempre a pulsar de vida. Novos públicos, numeroso e curiosos, portugueses e estrangeiros, novos e velhos acorreram e gostaram e por isso mesmo voltaram.

As obras tão necessárias foram feitas, algumas provavelmente ficarão a meio, na tradição de Portugal, país onde parece que tudo ainda está por cumprir.

Durante a primeira Noite dos Museus, o MNAA estava a abarrotar de gente. Nunca tinha visto o meu museu assim. Fiquei feliz. Dalila Rodrigues também estava satisfeita, a julgar pela expressão que trazia enquanto acompanhava a iniciativa. Quis ir falar com ela, quis dizer-lhe o quanto a admirava por tudo o que tinha feito pelo maior e mais importante Museu Nacional. mas a timidez não me deixou.

Agora já é tarde, mas aqui fica o meu protesto. Que tipo de país se pode dar ao luxo de penalizar quem está a fazer um bom trabalho? E - e isto é o que realmente me preocupa - que tipo de país afasta quem não concorda?

5 Novas Memórias:

Anonymous Anónimo escreveu...

O seu post se o ler com atenção é uma incongruencia - por um lado que foi a 1ª vez, por outro durante as varias visitas que fiz. Então é que ficamos?.

Por outro a senhora termina o seu mandato, o governo tem, toda a legitimidade de nomear quem bem entenda, como fez o governo anterior.

Alias a senhora parece-me bem mais uma "vamp2 do que propriamente a pessoa responsavel.

Morador nas Janelas Verdes que andou na escola da camara nº 18, quando as escolas eram escolas

05/08/2007, 20:29:00  
Anonymous Marcia escreveu...

Ih... não perceberam o teu texto, hein? A primeira vez, ou seja, há um tempo... daí ela agora ter como fazer comparações.
Olha, meti-me na conversa alheia, mas essa foi demais!
Calarem a Sra Dalila foi realmente o fim. Como as coisas andam... voltará a ser um museu que passará desapercebido.
Ah, eu tenho blog, mas aqui deixo apenas meu nome. Troquei impressões sobre Salzburg com o teu marido, antes de ir de férias. Ele vai lembrar. E estou sempre por aqui, lendo.

11/08/2007, 08:19:00  
Anonymous Alegrão escreveu...

O problema do museu é que estava a ficar com muita gente. Ora assim, começam a ser exercidas pressões para admitir mais pessoal, abrir durante mais horas, etc.
Este museu tem que ficar como os outros: Deserto!
E desde quando é que já se viu uma senhora com aquele visual à frente de um museu!?
Sinceramente...
Beijinhos

12/08/2007, 19:53:00  
Blogger Blog do Alex 2 escreveu...

adorei este post
nao sabia que eam frequentadores deste site

como é q voces 2 estão?
já desde o almoço de blogs em leiria que não os vejo, creio

12/08/2007, 21:51:00  
Blogger Strawberryzinha escreveu...

Boa noite.

Vim parar a este blog pela hipocoagulação... mas não resisti a ler mais alguns posts e este chamou-me a atenção devido ao texto que lhe é "dedicado".

Já não vou há uns anos valentes a esse museu, de pouco me lembro a não ser da escadaria e da Custódia de Belém (se não me estiver a confundir) memória que permanece graças aos livros de uma aventura...

Fiquei com um bixinho para lá voltar em breve!

voltarei para ler mais
=) Patrícia

19/12/2007, 02:24:00  

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal