01 agosto 2005

Espécie - infelizmente - não extinta

Na sexta-feira, infelizmente, não fiquei mais rico, ou melhor, mais excêntrico.

[ainda não é desta que compro um monte alentejano e me mudo de armas e bagagens para a costa vicentina...]

No Sábado, como previsto fomos ao Jardim Zoológico de Lisboa passar o dia. Demos uma voltinha pela quintinha, assistimos ao show do Leões Marinhos e dos Golfinhos, fomos ao reptilário, andámos de teleférico, vimos elefantes, girafas, zebras, suricatas, etc... mas os animais com quem estávamos semore a dar de caras, só têm duas pernas, dois bracitos e um cérebro mais pequeno que uma ervilha: o tuga estúpido!

O tuga estúpido é uma espécie - infelizmente - longe da extinção. Caracteriza-se pelo ar de "eu cá sou bom"; gosta de anilhas nas garras; tem, pelo menos, uma unha desenvolvida para poder escavar túneis no seu nariz; ao fim de semana usa uma plumagem colorida feita de nylon e coberta com coleiras de um metal amarelo ou - quando o calor aperta - uma plumagem especial de alças que apenas cobre uma parte insignificante dos membros superiores que ficam junto ao pescoço (não posso usar a palavra superior e tuga estúpido na mesma frase).
Esta espécie no seu habitat natural (com a mulher e os filhos ou junto de amigos) tende a exibir-se na sua máxima pujança. Quando se encontra num sítio público onde existem as mais elementares regras de comportamento cívico, tende a ignorá-las e a chamar sobre si as atenções, grunhindo e rindo para os outros transeuntes que passam. Aquando da sua presença num Zoo, o que nos salta à vista é que as grades estão no sítio errado e os intervenientes trocados. O tuga estúpido adora provocar e acirrar os animais, enervando-os ainda mais que o simples facto de estarem enjaulados - como se isso já não bastasse. Adorava que nestas situações as grades se evaporassem e deixasse de haver a segurança que cobre esta cobardia e esta estupidez típica. O tuga estúpido adora fazer caretas e atirar restos de comida aos animais, apesar dos avisos para não o fazer. O tuga estúpido gosta de imitar o animal imediatamente superior na sua escala de evolução: o chimpanzé levantando os braços e coçando-os com a sua unha desenvolvida enquanto emite uns sonhos estranhos imperceptíveis às outras espécies.
O tuga estúpido infelizmente está em franca expansão e começa já a invadir todas as zonas anteriormente controladas por outras espécies. Consegue inclusivé, incutir o seu comportamento, desde muito cedo, aos novos exemplares da espécie: o tuguinha estúpido.

Urge acabar com esta espécie. Vamos exterminar esta espécie e deixar apenas dois exemplares - estéreis de preferência - em cativeiro para podermos observar o quão baixo pode a raça humana descer.

0 Novas Memórias:

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal