26 janeiro 2006

Ano Mozart

Wolfgang Amadeus Mozart nasceu Johannes Chrysostomus Wolfgang Gottlieb Mozart, no dia 27 de Janeiro de 1756, em Salzburgo, Áustria. Representa, com Haydn, o ponto culminante da música no século XVIII.
Exemplo notável de precocidade criativa, aos 3 anos de idade recebia lições de piano, ministradas pelo pai; aos 4 fez a sua primeira composição; aos 7 tocava órgão, cravo e violino. Apresentou-se ao público pela primeira vez aos 6 anos, na universidade de Salzburgo. Mozart escreveu mais de 600 composições. Entre suas óperas merecem referência: A Flauta Mágica, Miltríades, La Finta Giardiniera, Zaída, inacabada, Idomeneu, o Rapto do Serralho, As Bodas de Fígaro, Don Giovani, Cosi Fan Trutte, A Clemência do Tito, etc. A música religiosa guarda bem as preciosidades das 15 missas, Te-Deums, 9 Ofertórios, De Profundis, Cantatas, 7 sonatas para órgão e o inimitável Requiem (compôs a Missa Requiem minado pela tuberculose). Trabalhava nesta missa, quando sofreu um ataque de paralisia, vindo a morrer no dia seguinte.
Apesar de sua vida curta, encontra-se entre os grandes génios da música. A sua imensa produção (mais de 600 obras) mostra uma pessoa que, desde criança, dominava a técnica da composição, além de possuir uma imaginação transbordante. As suas obras instrumentais incluem sinfonias, divertimentos, sonatas, música de câmara para diferentes combinações de instrumentos e concertos. As obras vocais são, basicamente, óperas e música religiosa (missas, oratórios). A sua obra combina as doces melodias do estilo italiano com a forma e o contraponto germânicos. Mozart sintetiza o classicismo do século XVII, simples, claro e equilibrado, mas sem fugir da intensidade emocional. Estas qualidades estão patentes em todos seus concertos, com os contrastes dramáticos entre o instrumento solista e a orquestra, e nas óperas, com as reacções das suas personagens diante de diferentes situações. A sua produção lírica coloca em evidência uma nova unidade entre a parte vocal e a instrumental, com uma delicada caracterização e o uso do estilo sinfónico próprio dos grandes grupos instrumentais.

texto extraído da página da Câmara Municipal do Montijo - que deve ser louvada por assinalar esta data

Comemoram-se amanhã os 250 anos da data de nascimento de um dos maiores génios musicais de todos os tempos, Mozart. Nunca fui grande apreciador de música clássica - confesso que por pura ignorância, mas quando - ainda adolescente - vi aquele que considero um dos filmes da minha vida: "Amadeus", passei a admirar aquela criatura, aquele génio que compôs algumas das obras musicais mais belas que a humanidade pode desfrutar.
Só lamento que Lisboa tanto apregoe o "Ano Mozart" e pouco se veja e ouça além disso...

0 Novas Memórias:

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal