15 janeiro 2007

Amadeo

Sim, eu também estive na Gulbenkian durante a madrugada de Domingo, para ver a exposição de Amadeo de Souza-Cardoso. Sim, já sabia que a exposição estava lá, já o sabia há muito tempo até mas, fiel à tradição portuguesa de guardar tudo para a última hora, só no Sábado me decidi a ir. E não me arrenpendo da espera, apesar da criatura que estava atrás de mim na fila e que passou o tempo a cantar temas de "gospel" - João e Janeca, agora começo a perceber o que vocês devem ter sofrido comigo, o Pedro e a Sandra no banco de trás do carro a "cantar" durante tantos e tantos quilóimetros...

O que mais me agradou, foi ver tal mobilização por causa de um artista português. É este tipo de coisa que me faz ter orgulho, não os jogos de futebol, as bandeiras com que nos enfeitamos e os hinos que recitamos, vazios de significado. E não importa se as pessoas lá estavam por mera curiosidade, se nunca antes tinham ouvido falar em Amadeo, se foram por ser um acontecimento "trendy" ou "fashion". Não importa se foram para ver ou para ser vistas. O que importa é que foram, esperaram, renderam a devida homenagem a um artista maior, mas quase sempre esquecido.

Por mim, tomei conhecimento de Amadeo de Souza-Cardoso nas aulas de história da arte contemporânea e confesso que sempre me fascinou o seu olhar forte e determinado,a condizer com o traço firme mas elegante e com a paleta destemida de cores vivas. mais do que tudo, fascinou-me a sua vida, romanticamente curta.

Por tudo isto esperei para ver ao vivo os seus trabalhos. Por tudo isto, senti orgulho do país onde nasci, porque não importa porque é que as pessoas estavam lá, importa que estavam e viram e, quer gostassem quer não, pelo menos ficaram a saber que este artista existiu.

1 Novas Memórias:

Anonymous Alegrão escreveu...

Uma no cravo...

É bom que tenha ido muita gente ver a exposição, até porque há sempre alguém que "é ganho" para a arte. Mas tenho pena que o português só adira às iniciativas quando estas são publicitadas na TV principalmente.
Se te lembrares bem, até as bandeiras nas janelas, surgiram de um apelo televisivo...
Beijos

15/01/2007, 23:46:00  

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal