19 agosto 2004

O regresso

Cheguei ontem ao fim da tarde a Lisboa. Já sentia saudades de casa, desta casa (e claro, das minhas gatinhas também).
Na viagem de regresso, estrada fora, vi (mais uma vez) imensas asneiras perpetradas por condutores e condutoras. Asneiras essas que não são passíveis de serem enquadradas na propalada teoria do excesso de velocidade, mas sim na categoria das azelhices perigosas ao volante. Num curto trajecto de auto-estrada perdi a conta a automobilistas que se enfiaram na faixa da esquerda sem sequer espreitarem se vinha alguém atrás. Acidentes, não vi... e sinceramente, não sei como.

A estadia no norte passou rapidamente, entre voltinhas por aqui e por ali, convívios familiares ali e além, pouco tempo restou para fazer o que quer que fosse. Amanhã começo a pôr a conversa em dia e a saber as novidades.

0 Novas Memórias:

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal