02 março 2007

Bento


Era ainda uma criança quando Manuel Bento começou a defender as redes do Glorioso. Era já um adulto quando Manuel Bento abandonou os relvados como guarda-redes (acredito que um futebolista que adora a sua profissão nunca abandona verdadeiramente os relvados).

Quer isto dizer que cresci a ouvir os relatos do Benfica e da Selecção Nacional (e por vezes a ver os jogos na tv) e me habituei às grandes defesas que o Bento fez na equipa das quinas e ao longo de quase 20 anos no Benfica. 20 anos... uma vida!

Lembro-me, quando era criança, o meu pai se referir a Bento como um "grande maluco". Maluco, no sentido em que era um jogador de uma entrega inexcedível, de uma coragem e de um coração imenso. Discutia os lançes com os avançados como poucos. Não se amedrontava com ninguém e entrava muitas vezes com as mãos e com a cabeça onde muitos não entrariam com os pés.

Depois e antes dele, o Benfica teve grandes guarda-redes, mas pela "raça", pela atitude, pelo carácter, pela mística e pelo amor ao seu clube e à sua profissão, Manuel Galrinho Bento merece o destaque dos demais.

Que descanse em paz!

0 Novas Memórias:

Enviar um comentário

Ligações:

Criar uma hiperligação

<<Página Principal